Dezembro 14 2009
Artes plásticas juntam-se à moda

 

 

Nesta quinta edição do “Mozambique Fashion Week” artistas plásticos residentes em Maputo foram chamados a demonstrar as suas capacidades criativas, tendo como inspiração o desfile que decorria ao mesmo tempo em que iam dando vida às suas obras.

O primeiro a experimentar esta sensação foi António Horácio Sitóe, ou simplesmente  Mufara, artista plástico que utiliza o barro e que considera esta uma oportunidade para “demonstrar a diversidade cultural de Moçambique. É uma primeira experiência que tem tudo para progredir e deveriam ser mais ratitas a passarem por este desafio”. Buscando inspiração nos modelos que iam desfilando na passerelle colocada no jardim da Fortaleza de Maputo, Mufara esculpiu uma peça que “retrata o dia-a-dia das mulheres moçambicanas, desde actividades como a moda, culinária, passando pelo carinho que dão aos seus filhos”.

Mufara é artista plástico há 11 anos e já participou em diversas exposições individuais e colectivas dentro e fora de Moçambique. Em 2008 venceu o prémio internacional das artes plásticas da Commonwealth o que lhe valeu uma estadia de seis meses na Austrália.

Na quarta noite do “Mozambique Fashion Week” foi a vez do artista plástico cubano Ulisses António Gomez Oviedo, que está radicado em Moçambique há 20 anos. Ulisses considerou ser um desafio interessante, pois “pintar perante a presença de muito público não é fácil por causa do barulho que perturba a concentração”.

Tal e qual Mufara, Ulisses Oviedo inspirou-se na mulher para pintar o seu quadro. “Combinei a vestes das modelos com a tinta de óleo, tendo como base as capulanas que elas vestiam, desenhei uma mulher aluada”, disse o artista plástico.

Quanto a ligação entre as artes plásticas e a moda, o artista cubano disse que tem “uma ligação natural, dado que a linguagem de criatividade é a mesma. Há cores nas artes plásticas e na moda, há desenho nas duas áreas, ou seja estas duas expressões culturais tem muito em comum.”

Durante as três horas em que durou o desfile na Estação principal dos Caminhos de Ferro de Moçambique, Ulisses ficou por ter minado o seu quadro, pois “não é fácil terminar uma tela numa única noite, por vezes são necessários dias para terminar uma obra”.

 

Alfredo Lituri

 


 



publicado por Panguanita às 14/12/09
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

pesquisa
 
categorias
arquivo
2011

2010

2009

últimos posts

Seda de Mia Mendes e glam...

África representada no úl...

As boas acções viram moda...

After Party VMFW

José António Tenente foi ...

António Tenente traz 'Ano...

Estabelecidos apostam no ...

Cores alegres na noite do...

Sheila e Fáuzia são as me...

Backstage

Mozambeat


Passatempo SAPO Moçambique


MFW School